Home Tutoriais Cosplay Grupos de Cosplay - Parte 2

Grupos de Cosplay - Parte 2

Correo electrónico Imprimir PDF
There are no translations available.

Na primeira parte do nosso tutorial sobre grupos de cosplay você conheceu os primeiros passos para montar seu grupo, saber quem convidar e como escolher os cosplays. Nesta segunda parte vamos falar sobre a criação artística de bons grupos de cosplay, da preparação dos textos e da apresentação em si.

ARTÍSTICO

Antes de mais nada, vale lembrar que estamos tratando de grupos "sérios", isto é, feitos com a intenção de agradar a um público exigente, e não apenas para divertir os próprios integrantes do grupo (embora uma coisa não exclua a outra, obviamente).

O grande segredo para um bom grupo pode ser resumido em uma palavra: unidade. O grupo precisa ser coeso, as roupas devem ter o mesmo nível de acabamento e detalhes e o elenco precisa estar em harmonia, entre outras coisas que serão explicadas adiante.

Novamente, mãos à obra!

 

1 - Texto

Uma boa apresentação - seja ela de um minuto ou meia hora - começa com um bom texto. Após escolher o tema e/ou a série de origem, você precisa escrever o texto da sua apresentação. Alguns fatores devem ser levados em consideração aqui.

- Quantos atores haverá na apresentação?
Você precisa saber com quantos cosplayers terá que lidar para poder determinar quantos e quais serão os personagens. É aconselhavel inclusive escrever o texto (ou pelo menos o roteiro) antes de convidar os cosplayers para participar (como explicamos na primeira parte). Assim você saberá exatamente quantos e quais serão os personagens. Convidar os amigos primeiro e escrever depois costuma ser muito mais difícil e atrapalhado, especialmente se você tiver que encaixar cosplays que eles já tenham na sua apresentação. Isso limita muito a criatividade, e pode comprometer a unidade do grupo. (Isso será explicado adiante na parte de confecção dos cosplays). Alguns grupos conseguem lidar muito bem com isso, mas se você puder optar e, principalmente, se o seu grupo for mais dramático que cômico, escolha os personagens antes e só chame os cosplayers depois.

- Quanto tempo terá a apresentação?
Isso é significante na hora de escolher que tipo de texto você vai escrever. Não só no tamanho dele, mas no ritmo e no nível de desenvolvimento da trama. O roteiro pode ser uma simples piada bem contada, ou um episódio inteiro. Pode ou não ter números musicais, luta e efeitos especiais. Tudo isso depende do tempo disponível no palco.

- Drama ou comédia?
Não é segredo pra ninguém que comédia funciona muito melhor em palco de eventos de anime, mas se você resolver optar pelo drama, tenha certeza de que sabe o que está fazendo. Desenvolva uma história que prenda a atenção do público e acrescente muitos elementos interessantes. E tenha um elenco capaz de segurar isso. E mesmo no maior dos dramas, ainda assim é interessante colocar um alívio cômico, principalmente se a apresentação tiver mais de 10 minutos. Shakespeare fazia isso, e com certeza você não é melhor que ele.

- O que o público quer?
Ação. O público de eventos de anime não suporta ver os personagens conversando enquanto nada acontece. Crie dinamismo nas cenas, reviravoltas na trama, coloque lutas, dança e todo tipo de micagem. O segredo é dosar tudo isso de forma que caiba dentro do seu roteiro sem virar um circo (a menos, é claro, que o objetivo seja esse). Saiba agradar ao público como um todo. Mesmo que a série seja obscura, coloque elementos na apresentação que sejam conhecidos de todos. Piadas de senso-comum e referências a outras coisas funcionam bem. Outros clichês que sempre agradam: músicas famosas, beijo na boca, mulher bonita com pouca roupa, efeitos especiais e cenas de luta com muito barulho de gente caindo no chão. Não tem erro: qualquer um desses elementos no palco é garantia de público gritando empolgado. Mas cuidado: não abuse dos clichês ou o seu texto ficará pobre.

Após definir todos esses pontos, escreva o roteiro. Um resumo da história que você vai contar, com divisão das cenas principais, começo, meio, clímax e fim. Em seguida chame os cosplayers para o seus respectivos papéis. E é hora do brainstorm. Anotem todas as idéias, misturem, releiam, eliminem o que não serve e finalmente escreva o texto.

Nunca se esqueça: uma boa história tem sempre começo, meio, clímax e fim. Mesmo que tenha um único minuto, essa regra é lei. É aconselhável que só uma pessoa (no máximo duas) de fato escreva, para manter a unidade e o estilo. Depois de terminado, uma segunda pessoa deve revisar. E pronto, já está na hora de ensaiar!

2 - Áudio

Infelizmente nenhum evento de anime no Brasil ainda disponibilizou estrutura para apresentações ao vivo, microfones auriculares (headsets) por exemplo, ou teatros com boa acústica. Há quem discorde, mas a verdade é que nada se compara ao dinamismo e tempo de resposta de uma apresentação ao vivo. Porém, como isso ainda não é possível, temos que recorrer ao bom e velho áudio pré-gravado e à dublagem.

O áudio da sua apresentação precisa ser 2 coisas para ser bom: audível e bem interpretado. Grave o seu áudio com microfones de boa qualidade na qualidade máxima de wav do seu computador. Se vcs estiverem esbanjando dinheiro, gravem em um estúdio. Na hora de editar, certifique-se de não mexer na qualidade do arquivo sem querer. Quando inserir músicas e efeitos sonoros, verifique a qualidade dos mesmos. As pessoas precisam ENTENDER o que está sendo dito. Isso inclui boa dicção dos cosplayers.

Além da dicção, é bom que as falas sejam bem interpretadas também. Ninguém gosta de um texto lido sem emoção. Pra isso, façam ensaios com leituras e treinem entonações. Não tenham medo de exagerar. Com áudio gravado isso não faz tanta diferença. Se alguém no grupo for bom ator, deixe-o dirigir os outros. Uma boa opção é ele gravar uma versão da fala e o outro vai lá e imita. Depois é só editar tudo. Procure manter as falas todas na mesma altura também.

Por fim, mas não menos importante, decorem as falas! Na hora de se apresentar, você precisa dublar com perfeição. E só consegue isso com o texto decorado! Não é só porque ele está gravado que você vai lá se apresentar tranqüilo. Não tem nada mais feio do que cosplayer "mascando chiclete" no palco. É pior que dublagem de novela mexicana.

3 - Trilha Sonora

Este pode ser o grande diferencial entre a monotonia e o dinamismo, sobretudo se a apresentação tem muito texto. A trilha ao fundo confere profundidade ao áudio e o deixa mais profissional. Escolha com cuidado e saiba dosar a altura das músicas. A trilha obviamente também ajuda a "dar o clima" e aumenta a dramaticidade. Por fim, algumas músicas mais conhecidas servem pra fazer piadas ou referências divertidas. Um tema do Darth Vader quando entra o grande vilão sempre empolga numa apresentação engraçada.

4 - Cosplays

A verdadeira unidade visual! E a primeira coisa que vão olhar no seu grupo, especialmente se ele não for se apresentar. Aqui a regra é uma só, bons cosplays, mas no caso de grupos isso pode não ser suficiente. Vamos aos fatores que influenciam na unidade visual.

Os cosplayers precisam ser proporcionais uns aos outros e aos personagens. Semelhança física não é essencial, mas ajuda. Especialmente se tiver outra pessoa no grupo a quem possa ser comparada. Por exemplo: ia ser muito estranho ver um Kurama mais baixo que um Hiei. Isso vale para portes físicos e crossplays. É melhor que meninas só façam cosplays de meninos se os rapazes fizerem os personagens realmente mais masculinos e as meninas os mais andróginos e crianças. A menos que a intenção seja exatamente fazer disso parte do humor.

Uniformes precisam ser todos do mesmo tecido e costurados da mesma forma. Se vários personagens usam roupas iguais ou idênticas, elas devem ser iguais ou idênticas. Isso vale para uniformes militares, escolares, quimonos, ou o que quer que seja. (Aliás, mesmo no caso de roupas completamente diferentes, é bom haver um "padrão" nos tecidos e manufatura. Pra não aparecer um personagem purpurinado e outro sombrio, sendo que ambos deveriam ser um meio-termo.)

Bom acabamento, boas perucas, bons acessórios, etc. Não tem muito o que explicar aqui. São as regras dos cosplays bem-feitos. É muito feio quando você vê um grupo todo bonitinho e caprichado, com um ou dois personagens claramente desleixados destoando dos outros. Capricho é fundamental.

Maquiagem e afins. Não é um tópico específico para grupos de cosplay, e sim para qualquer cosplay: em palco ou em foto tem que usar maquiagem. Fato! Mesmo que o seu personagem tenha a cara lavada, você não pode ter. Pelo menos o trio correrivo-base-pó é indispensável para uniformizar a pele. Na maioria dos casos, lápis de olho também (persongens de anime têm olhos expressivos). O resto vai depender do tipo de personagem e da estética que se deseja seguir. CLAMP pede maquiagem mais elaborada, por exemplo. Sobrancelhas e barba bem-feitas, roupa-de-baixo adequada (que não marque a roupa) entre outras coisas são detalhes também importantes para não deixar o grupo com cara de desleixado. (Posteriormente farei um tutorial apenas sobre maquiagem e afins.)

5 - Cenário e adereços

Não são essenciais para praticamente nenhum grupo de cosplay, mas se você optar por usá-los, tenha certeza de fazer uma lista de tudo o que precisa e treine muito bem os seus staffs para isso. Colocar cenários e adereços no palco apenas para fazer volume fazem com que seu grupo pareça pobre, e que precisa desses recursos para se sustentar. Use-os apenas se forem essenciais para a trama ou forem abrilhantar a apresentação, nunca como muleta.

6 - Ensaios e atuação

Ensaiar nunca é demais. Ensaiem exaustivamente, sempre que possível, e decorem. Principalmente o texto! Novamente: "mascar chiclete" é feio! Estudem os personagens, seus trejeitos e poses, tanto para fotos quanto para o palco. Não adianta nada dar um texto perfeito e ficar parado como quem espera o ônibus. Esteja sempre dentro do personagem. Afinal, atuação é 50% do cosplay. Cuidado com alguns vícios de cosplayer inexperiente:

  • Palco quente: o cosplayer fica patinando no lugar, sem conseguir ficar parado enquanto dá a fala ou espera a fala.
  • Bonecão do posto: aqui são os braços que não conseguem ficar parados.
  • Açucareiro: sem saber o que fazer com os braços, as mãos ficam o tempo todo na cintura.
  • Corcunda tímido: inseguro, o cosplayer se encolhe. Atenção à postura.
  • Ai, minha peruca!: para ela não cair, encha de grampos. Não fique arrumando no palco.

E o principal: Nunca dê as costas para o público!

7 - No grande dia

Cheguem cedo, se arrumem com calma, dêem as últimas passadas no texto e nas cenas mais difíceis, mantenham a organização e a união. Procurem não se dispersar pelo evento depois de arrumados, pra poderem tirar fotos sempre juntos e se manterem concentrados. E se alguma coisa der errado, não se desespere. Provavelmente o público nem vai notar. Haverá outras chances.

Se você seguir todos esses passos e acima de tudo se divertir, com certeza o seu grupo será um grande sucesso e será lembrado por muitos eventos ainda.

Última actualización el Martes 11 de Marzo de 2008 07:00  

Comentarios  

 
0 # GNFV 26-06-2010 00:24
EU GOSTEI BRIGADA VOU FASE UMA NO COLEGIO