Home Cosplay na Mídia No Brasil Cosplay com um toque histórico

Cosplay com um toque histórico

E-mail Imprimir PDF
Concurso promovido pelo site do Conselho SteamPunk divulga a cultura do cosplay numa outra esfera além do animê e do mangá. Confira entrevista exclusiva com um dos idealizadores desse movimento no Brasil – Bruno Accioly.

 

steampunk1.jpg

Se você curte história e ficção científica (além do cosplay, claro), o Conselho SteamPunk é uma boa alternativa para trocar o tema da sua fantasia e descobrir um novo concurso de cosplay online – o SteamGirls.

Cosplayers.net: Como surgiu o Conselho SteamPunk no Brasil? Quais foram seus idealizadores?
Bruno Accioly: O SteamPunk.com.br vem divulgando o gênero, a partir do Rio de Janeiro, desde meados de 2007, mas foi só em outubro de 2008 que eu em contato com Raul Cândido, de São Paulo, que tivemos a idéia de empreendermos um esforço mais coordenado e montarmos uma fraternidade de entusiastas do gênero. A intenção do Conselho SteamPunk é promover, criar e inspirar outros interessados a produzir cultura SteamPunk em suas mais diversas formas, patrocinando trabalhos, mostras, eventos e até mesmo a criação de outras Lojas.

CN: Quantos associados há no Conselho SteamPunk? Qual o perfil geral dos associados (profissão, interesses pessoais, etc.)?
BA: A julgar pela quantidade de pessoas cadastradas nas comunidades do Orkut e no Facebook do Conselho SteamPunk, poderíamos dizer que há cerca de 200 pessoas ligadas a nós, mas fazemos questão de nos atermos ao número de cadastrados no Registro SteamPunk, somando cerca de 100 filiados. Qualquer um que se cadastre no Registro SteamPunk é automaticamente considerado como parte do Conselho. Há, contudo, membros ativos, aqueles que costumam participar da organização de eventos e publicação de artigos, por exemplo. Somos hoje 15 homens e mulheres interessados em popularizar o SteamPunk no País através de iniciativas que consideramos importantes, como foi o caso do [concurso de cosplay online] SteamGirls.com.br.
steampunk3.jpg
CN: Onde surgiu esse movimento? Ele é apenas visual ou tem alguma filosofia ou estilo de vida?
BA: O SteamPunk tem uma aceitação notável junto àqueles que apreciam a ficção científica. Trata-se de um gênero graficamente atraente, invocando elementos plásticos da Era Vitoriana (Século XIX) e misturando-os a aparatos tecnológicos que de fato não existiram na época. O gênero surgiu em fins da década de 1980, como uma variação do CyberPunk que amadureceu desde que o termo SteamPunk foi cunhado por K.W.Jeter ao definir os trabalhos de Tim Powers (The Anubis Gates). Hoje é comum que se faça referência aos trabalhos de Júlio Verne e H.G.Wells como obras SteamPunk e cada vez mais o interesse do cinema pela proposta estética acaba por popularizar outros aspectos do movimento. Definir o que é SteamPunk, contudo, costuma ser tão difícil quanto, por exemplo, definir o que é ficção científica. Uma vez que o SteamPunk não é ligado a um único filme, série de TV ou franquia famosa, sendo ele um gênero um tanto independente.
Os editores da revista SteamPunk Magazine (www.steampunkmagazine.com) fazem relação do gênero com uma postura combativa antistablishment que é muito interessante, mas há poucas manifestações políticas envolvidas no SteamPunk. Em síntese, a parte Punk do termo é mais vapor do que de fato uma questão de grande importância. Se o Conselho SteamPunk se afina com o movimento Punk em algum ponto é no de ser um movimento de contra-cultura onde a loucura pelo sucesso fútil, pelos ganhos monetários em primeiro lugar e o individualismo desenfreado fazem muito pouco sentido para nós.

CN: Há quanto tempo existem as Lojas SteamPunk? O movimento é expressivo?
BA: É importante deixar claro uma coisa: as Lojas do Conselho SteamPunk não vendem nada. Elas se apropriam da tradição vitoriana de chamar de “Lojas” as filiais de uma dada confraria, sendo uma forma de nos referirmos a cada um dos grupos organizados e regionais do Conselho SteamPunk. Desde 2008 cada vez mais pessoas vem se interessando em colaborar com o Conselho SteamPunk, que é representado pelas Lojas do Rio de Janeiro, de São Paulo e do Rio Grande do Sul.

CN: Como surgiu a idéia para o concurso SteamGirls?
BA: A idéia surgiu do fato de que boa parte do Conselho SteamPunk regularmente se veste em trajes vitorianos e cultiva hábitos que alardeiam as virtudes atribuídas à época sem se permitir abraçar tudo aquilo em que a época falhava. Sob este aspecto o concurso é ao mesmo tempo uma homenagem a mulher, ao gênero e a uma visão utópica e nostálgica da Era Vitoriana. A iniciativa e patrocínio, contudo, vem do OutraCoisa.com.br e da dotWeb.com.br.

CN: Vocês esperam por um bom número de cosplayers desse estilo? Já estão recebendo fotos?
BA: O que ocorre é que o SteamPunk não é tão reconhecido como estilo no Brasil quanto é, digamos, na Alemanhã -, informação que temos por conta da parceria do Conselho com o www.ClockWorker.de, que já veio ao País duas vezes, representado por Johanna Sievers. Hoje temos oito candidatas inscritas e uma dezena de outras que vêm nos perguntando detalhes de como participar e como se vestir.

steampunk2.jpgCN: Vocês participam de eventos de animê e mangá?
BA: Estamos começando a estabelecer algumas parcerias e a aparecer nos lugares, seja a paisana seja em trajes vitorianos, mas ainda não participamos. Há interesse, sem dúvida, de nos aproximarmos da comunidade de cosplay, sobretudo por conta de haver já esta tradição, no Conselho SteamPunk, de aparecer por aí em roupas tão peculiares.

CN: Vocês realizam eventos próprios? Há datas específicas que possam ser divulgadas?
BA: Até por conta de ser mais conhecido em São Paulo, o movimento por aqui tem sido muito mais forte. Já houve dois eventos desde o início do ano e a Loja São Paulo vem divulgando-os em seus sites. Um evento está previsto para o dia 26 de julho e maiores detalhes vão poder ser encontrados nos sites do Conselho.

CN: Ter um visual steampunk é ser considerado um cosplayer para vocês?
BA: Esta pergunta é curiosa, sobretudo no caso do gênero SteamPunk. Há uma tradição, no mundo do cosplay de abraçar não tanto um gênero quanto um mangá ou animê específico na hora de escolher as vestimentas para a prática. Uma vez que o SteamPunk não está ligado a um único filme, livro, quadrinho ou animação, mas a obras que vem sendo lançadas desde o século XIX até hoje e que façam menção a tecnologia retrofuturista, o campo para a criação não se resume a personagens, mas a conceitos e abstrações da ideia do que é o gênero.

CN: Para saber mais sobre o visual/estilo steampunk e adquirir produtos, quais os endereços das lojas e horários de funcionamento?
BA: A melhor forma de saber mais sobre a proposta estética é visitando os sites do Conselho SteamPunk e uma série de outros que você pode encontrar pela internet. O SteamPunk.com.br está para colocar no ar a Liga de Artífices SteamPunk, uma galeria de serviços sem fins lucrativos que divulga o trabalho de artistas que produzem e desejam comercializar suas obras do gênero, disponibilizando endereços de contato e telefones para a venda de ilustrações, pinturas, livros originais em pdf, antiguidades, casemods, bijuterias, acessórios, corpetes, roupas e fantasias inteiras.

CN: Que outros projetos o Conselho SteamPunk pretende disponibilizar para o público?
BA: O concurso SteamGirls é um movimento profundamente importante por conta de popularizar o movimento diante da comunidade cosplayer. O site espera o contato de todas as interessadas pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e, se selecionadas, as candidatas vão receber e-mails @steampunk.com.br. A candidata que ganhar o concurso, no fim do ano, além de ter direito ao e-mail @steamgirl.com.br, irá ganhar um prêmio especial. Esta iniciativa faz parte de um esforço que tem a intenção de incentivar o público a se aproximar do gênero e é apenas uma das manifestações que estão por vir. Ainda dentro do gênero SteamPunk estamos organizando um podcast, uma enciclopédia e a tradução diagramada da revista SteamPunk Magazine, além da galeria da Liga de Artífices SteamPunk. Em termos de cosplay, o que podemos adiantar é que o Conselho SteamPunk pretende que, em todos os seus eventos, o maior número possível de pessoas esteja vestido a caráter.
Agradecemos a oportunidade de conversar com o Cosplayers.net e convidamos todos os interessados a visitar nossos sites para acompanhar as novidades.

steampunk4.jpg


Para conhecer mais
Sites

Concurso SteamGirls

SteamPunk Brasil
Loja São Paulo


Twitter
Loja Rio de Janeiro
Loja São Paulo  

 

Última atualização em Sex, 24 de Abril de 2009 10:43