Home Tutoriais Cosplay Grupos de Cosplay - Parte 2

Grupos de Cosplay - Parte 2

E-mail Print PDF
There are no translations available.

Na primeira parte do nosso tutorial sobre grupos de cosplay você conheceu os primeiros passos para montar seu grupo, saber quem convidar e como escolher os cosplays. Nesta segunda parte vamos falar sobre a criação artística de bons grupos de cosplay, da preparação dos textos e da apresentação em si.

ARTÍSTICO

Antes de mais nada, vale lembrar que estamos tratando de grupos "sérios", isto é, feitos com a intenção de agradar a um público exigente, e não apenas para divertir os próprios integrantes do grupo (embora uma coisa não exclua a outra, obviamente).

O grande segredo para um bom grupo pode ser resumido em uma palavra: unidade. O grupo precisa ser coeso, as roupas devem ter o mesmo nível de acabamento e detalhes e o elenco precisa estar em harmonia, entre outras coisas que serão explicadas adiante.

Novamente, mãos à obra!

 

1 - Texto

Uma boa apresentação - seja ela de um minuto ou meia hora - começa com um bom texto. Após escolher o tema e/ou a série de origem, você precisa escrever o texto da sua apresentação. Alguns fatores devem ser levados em consideração aqui.

- Quantos atores haverá na apresentação?
Você precisa saber com quantos cosplayers terá que lidar para poder determinar quantos e quais serão os personagens. É aconselhavel inclusive escrever o texto (ou pelo menos o roteiro) antes de convidar os cosplayers para participar (como explicamos na primeira parte). Assim você saberá exatamente quantos e quais serão os personagens. Convidar os amigos primeiro e escrever depois costuma ser muito mais difícil e atrapalhado, especialmente se você tiver que encaixar cosplays que eles já tenham na sua apresentação. Isso limita muito a criatividade, e pode comprometer a unidade do grupo. (Isso será explicado adiante na parte de confecção dos cosplays). Alguns grupos conseguem lidar muito bem com isso, mas se você puder optar e, principalmente, se o seu grupo for mais dramático que cômico, escolha os personagens antes e só chame os cosplayers depois.

- Quanto tempo terá a apresentação?
Isso é significante na hora de escolher que tipo de texto você vai escrever. Não só no tamanho dele, mas no ritmo e no nível de desenvolvimento da trama. O roteiro pode ser uma simples piada bem contada, ou um episódio inteiro. Pode ou não ter números musicais, luta e efeitos especiais. Tudo isso depende do tempo disponível no palco.

- Drama ou comédia?
Não é segredo pra ninguém que comédia funciona muito melhor em palco de eventos de anime, mas se você resolver optar pelo drama, tenha certeza de que sabe o que está fazendo. Desenvolva uma história que prenda a atenção do público e acrescente muitos elementos interessantes. E tenha um elenco capaz de segurar isso. E mesmo no maior dos dramas, ainda assim é interessante colocar um alívio cômico, principalmente se a apresentação tiver mais de 10 minutos. Shakespeare fazia isso, e com certeza você não é melhor que ele.

- O que o público quer?
Ação. O público de eventos de anime não suporta ver os personagens conversando enquanto nada acontece. Crie dinamismo nas cenas, reviravoltas na trama, coloque lutas, dança e todo tipo de micagem. O segredo é dosar tudo isso de forma que caiba dentro do seu roteiro sem virar um circo (a menos, é claro, que o objetivo seja esse). Saiba agradar ao público como um todo. Mesmo que a série seja obscura, coloque elementos na apresentação que sejam conhecidos de todos. Piadas de senso-comum e referências a outras coisas funcionam bem. Outros clichês que sempre agradam: músicas famosas, beijo na boca, mulher bonita com pouca roupa, efeitos especiais e cenas de luta com muito barulho de gente caindo no chão. Não tem erro: qualquer um desses elementos no palco é garantia de público gritando empolgado. Mas cuidado: não abuse dos clichês ou o seu texto ficará pobre.

Após definir todos esses pontos, escreva o roteiro. Um resumo da história que você vai contar, com divisão das cenas principais, começo, meio, clímax e fim. Em seguida chame os cosplayers para o seus respectivos papéis. E é hora do brainstorm. Anotem todas as idéias, misturem, releiam, eliminem o que não serve e finalmente escreva o texto.

Nunca se esqueça: uma boa história tem sempre começo, meio, clímax e fim. Mesmo que tenha um único minuto, essa regra é lei. É aconselhável que só uma pessoa (no máximo duas) de fato escreva, para manter a unidade e o estilo. Depois de terminado, uma segunda pessoa deve revisar. E pronto, já está na hora de ensaiar!

2 - Áudio

Infelizmente nenhum evento de anime no Brasil ainda disponibilizou estrutura para apresentações ao vivo, microfones auriculares (headsets) por exemplo, ou teatros com boa acústica. Há quem discorde, mas a verdade é que nada se compara ao dinamismo e tempo de resposta de uma apresentação ao vivo. Porém, como isso ainda não é possível, temos que recorrer ao bom e velho áudio pré-gravado e à dublagem.

O áudio da sua apresentação precisa ser 2 coisas para ser bom: audível e bem interpretado. Grave o seu áudio com microfones de boa qualidade na qualidade máxima de wav do seu computador. Se vcs estiverem esbanjando dinheiro, gravem em um estúdio. Na hora de editar, certifique-se de não mexer na qualidade do arquivo sem querer. Quando inserir músicas e efeitos sonoros, verifique a qualidade dos mesmos. As pessoas precisam ENTENDER o que está sendo dito. Isso inclui boa dicção dos cosplayers.

Além da dicção, é bom que as falas sejam bem interpretadas também. Ninguém gosta de um texto lido sem emoção. Pra isso, façam ensaios com leituras e treinem entonações. Não tenham medo de exagerar. Com áudio gravado isso não faz tanta diferença. Se alguém no grupo for bom ator, deixe-o dirigir os outros. Uma boa opção é ele gravar uma versão da fala e o outro vai lá e imita. Depois é só editar tudo. Procure manter as falas todas na mesma altura também.

Por fim, mas não menos importante, decorem as falas! Na hora de se apresentar, você precisa dublar com perfeição. E só consegue isso com o texto decorado! Não é só porque ele está gravado que você vai lá se apresentar tranqüilo. Não tem nada mais feio do que cosplayer "mascando chiclete" no palco. É pior que dublagem de novela mexicana.

3 - Trilha Sonora

Este pode ser o grande diferencial entre a monotonia e o dinamismo, sobretudo se a apresentação tem muito texto. A trilha ao fundo confere profundidade ao áudio e o deixa mais profissional. Escolha com cuidado e saiba dosar a altura das músicas. A trilha obviamente também ajuda a "dar o clima" e aumenta a dramaticidade. Por fim, algumas músicas mais conhecidas servem pra fazer piadas ou referências divertidas. Um tema do Darth Vader quando entra o grande vilão sempre empolga numa apresentação engraçada.

4 - Cosplays

A verdadeira unidade visual! E a primeira coisa que vão olhar no seu grupo, especialmente se ele não for se apresentar. Aqui a regra é uma só, bons cosplays, mas no caso de grupos isso pode não ser suficiente. Vamos aos fatores que influenciam na unidade visual.

Os cosplayers precisam ser proporcionais uns aos outros e aos personagens. Semelhança física não é essencial, mas ajuda. Especialmente se tiver outra pessoa no grupo a quem possa ser comparada. Por exemplo: ia ser muito estranho ver um Kurama mais baixo que um Hiei. Isso vale para portes físicos e crossplays. É melhor que meninas só façam cosplays de meninos se os rapazes fizerem os personagens realmente mais masculinos e as meninas os mais andróginos e crianças. A menos que a intenção seja exatamente fazer disso parte do humor.

Uniformes precisam ser todos do mesmo tecido e costurados da mesma forma. Se vários personagens usam roupas iguais ou idênticas, elas devem ser iguais ou idênticas. Isso vale para uniformes militares, escolares, quimonos, ou o que quer que seja. (Aliás, mesmo no caso de roupas completamente diferentes, é bom haver um "padrão" nos tecidos e manufatura. Pra não aparecer um personagem purpurinado e outro sombrio, sendo que ambos deveriam ser um meio-termo.)

Bom acabamento, boas perucas, bons acessórios, etc. Não tem muito o que explicar aqui. São as regras dos cosplays bem-feitos. É muito feio quando você vê um grupo todo bonitinho e caprichado, com um ou dois personagens claramente desleixados destoando dos outros. Capricho é fundamental.

Maquiagem e afins. Não é um tópico específico para grupos de cosplay, e sim para qualquer cosplay: em palco ou em foto tem que usar maquiagem. Fato! Mesmo que o seu personagem tenha a cara lavada, você não pode ter. Pelo menos o trio correrivo-base-pó é indispensável para uniformizar a pele. Na maioria dos casos, lápis de olho também (persongens de anime têm olhos expressivos). O resto vai depender do tipo de personagem e da estética que se deseja seguir. CLAMP pede maquiagem mais elaborada, por exemplo. Sobrancelhas e barba bem-feitas, roupa-de-baixo adequada (que não marque a roupa) entre outras coisas são detalhes também importantes para não deixar o grupo com cara de desleixado. (Posteriormente farei um tutorial apenas sobre maquiagem e afins.)

5 - Cenário e adereços

Não são essenciais para praticamente nenhum grupo de cosplay, mas se você optar por usá-los, tenha certeza de fazer uma lista de tudo o que precisa e treine muito bem os seus staffs para isso. Colocar cenários e adereços no palco apenas para fazer volume fazem com que seu grupo pareça pobre, e que precisa desses recursos para se sustentar. Use-os apenas se forem essenciais para a trama ou forem abrilhantar a apresentação, nunca como muleta.

6 - Ensaios e atuação

Ensaiar nunca é demais. Ensaiem exaustivamente, sempre que possível, e decorem. Principalmente o texto! Novamente: "mascar chiclete" é feio! Estudem os personagens, seus trejeitos e poses, tanto para fotos quanto para o palco. Não adianta nada dar um texto perfeito e ficar parado como quem espera o ônibus. Esteja sempre dentro do personagem. Afinal, atuação é 50% do cosplay. Cuidado com alguns vícios de cosplayer inexperiente:

  • Palco quente: o cosplayer fica patinando no lugar, sem conseguir ficar parado enquanto dá a fala ou espera a fala.
  • Bonecão do posto: aqui são os braços que não conseguem ficar parados.
  • Açucareiro: sem saber o que fazer com os braços, as mãos ficam o tempo todo na cintura.
  • Corcunda tímido: inseguro, o cosplayer se encolhe. Atenção à postura.
  • Ai, minha peruca!: para ela não cair, encha de grampos. Não fique arrumando no palco.

E o principal: Nunca dê as costas para o público!

7 - No grande dia

Cheguem cedo, se arrumem com calma, dêem as últimas passadas no texto e nas cenas mais difíceis, mantenham a organização e a união. Procurem não se dispersar pelo evento depois de arrumados, pra poderem tirar fotos sempre juntos e se manterem concentrados. E se alguma coisa der errado, não se desespere. Provavelmente o público nem vai notar. Haverá outras chances.

Se você seguir todos esses passos e acima de tudo se divertir, com certeza o seu grupo será um grande sucesso e será lembrado por muitos eventos ainda.

Last Updated on Tuesday, 11 March 2008 07:00  

Comments  

 
0 # GNFV 2010-06-26 00:24
EU GOSTEI BRIGADA VOU FASE UMA NO COLEGIO